Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
A percepção do tempo nas crianças sob o prisma de suas narrativas
Curso Mestrado em Educação Científica e Matemática
Tipo Dissertação
Data 01/03/2019
Área ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
Orientador(es)
  • FERNANDO CÉSAR FERREIRA
Orientando(s)
  • Angela Salvatini Fakir
Banca
  • EDILAINE BUIN BARBOSA
  • FERNANDO CÉSAR FERREIRA
  • SERGIO CHOITI YAMAZAKI
Resumo
Download
    Carotenóides na Alimentação de Poedeiras
    Curso Mestrado em Zootecnia
    Tipo Dissertação
    Data 01/03/2019
    Área ZOOTECNIA
    Orientador(es)
    • ELIS REGINA DE MORAES GARCIA
    Orientando(s)
    • PATRICIA GOMES SANTANA
    Banca
    • CHARLES KIEFER
    • ELIS REGINA DE MORAES GARCIA
    • TIAGO JUNIOR PASQUETTI
    Resumo
    Download
      Produtos Homeopáticos na Alimentação de Suínos
      Curso Mestrado em Zootecnia
      Tipo Dissertação
      Data 28/02/2019
      Área ZOOTECNIA
      Orientador(es)
      • TIAGO JUNIOR PASQUETTI
      Orientando(s)
      • GERALDYNE NUNES WENDT
      Banca
      • CHARLES KIEFER
      • ELIS REGINA DE MORAES GARCIA
      • TIAGO JUNIOR PASQUETTI
      Resumo
      Download
        SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE SERINGUEIRA COM APLICAÇÃO DE SULFATO DE ZINCO FOLIAR EM DIFERENTES AMBIENTES
        Curso Mestrado em Agronomia
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2019
        Área FISIOLOGIA DE PLANTAS CULTIVADAS
        Orientador(es)
        • WILSON ITAMAR MARUYAMA
        Orientando(s)
        • RENATO SILVA BORGES
        Banca
        • ELIANA DUARTE CARDOSO
        • TIAGO ZOZ
        • WILSON ITAMAR MARUYAMA
        Resumo A seringueira é uma espécie que apresenta dificuldade no enraizamento pelo método de
        propagação vegetativa, na produção de mudas por estaquia. Uma alternativa para superar esta dificuldade é o uso de micronutrientes como cofatores de enraizamento, tal como o zinco. Diante disto objetivou-se avaliar a sobrevivência de estacas de seringueira em ambientes com a aplicação foliar de sulfato de zinco. Aplicou-se sulfato de zinco via foliar 72 horas antes de coleta das estacas. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado (DIC), em três ambientes distintos sendo: A – Fitotron. B – Câmara de nebulização. C – Casa de vegetação. Foram utilizados 6 tratamentos e 3 repetições de 16 estacas de seringueira. Os tratamentos foram 0; 0,04; 0,08; 0,16; 0,32 e 0,64 mg L–1 de ZnSO4. Aos 17 dias realizou-se a primeira avaliação de sobrevivência de estacas e aos 31 dias, a avaliação final. Os dados percentuais foram submetidos à análise de variância (teste F), e para fins estatísticos, utilizou-se análise de grupos de experimentos e, realizou-se avaliação conjunta dos ambientes e doses, para as variáveis que apresentaram razão quadrado médio dos resíduos menor que 7:1. As médias foram comparadas pelo teste de de Tukey a 5% de probabilidade e análise de regressão, utilizando-se o programa SANEST. A não aplicação de sulfato de zinco proporciona taxas de estavas verdes superiores a 80% quando se utiliza ambientes de cultivo, tais como: ambiente fitotron (87,50%) e casa de vegetação (81,25%), proporcionando a melhor taxa de sobrevivência na dose 0. A câmara de nebulização apresenta a maior taxa de mortalidade de estacas de seringueira aos 31 dias após a implantação do experimento, possuindo mortalidades superiores a 96%, utilizando sulfato de zinco ou não. A mortalidade das estacas aos 17 dias para o ambiente fitotron e casa de vegetação, apresentam-se inferior quando comparada a câmara de nebulização, que apresenta maior porcentagem de estacas mortas independe da dose de sulfato de zinco utilizado, pois as mesmas não diferiram entre si. Um fato a se salientar é que a dose 0,00 mg L–1 (11,11%) que apresenta maior sobrevivência das estacas não difere da dose 0,16 mg L–1 (0%) que não proporcionou nenhuma estaca verde aos 31 dias após a implantação do experimento. A casa de vegetação e o fitotron contribuíram para a sobrevivência de estacas verdes até 17 dias após a implantação do experimento, quando se pulveriza sulfato de zinco via foliar. A aplicação foliar de sulfato de zinco via foliar não interfere na sobrevivência de estacas de seringueira em ambientes de produção.
        Download
        FEIJÃO-DE-PORCO COMO CULTURA ANTECESSORA A CENOURA E ALFACE
        Curso Mestrado em Agronomia
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2019
        Área AGRONOMIA
        Orientador(es)
        • MAIELE LEANDRO DA SILVA
        Orientando(s)
        • FERNANDA BAPTISTELLA HERNANDES
        Banca
        • FRANCIMAR PEREZ MATHEUS DA SILVA
        • FRANCISCO EDUARDO TORRES
        • MAIELE LEANDRO DA SILVA
        Resumo Em busca de produção agroecológica, os pesquisadores e agricultores têm grande atenção quando procuram sistemas agrícolas eficientes com baixo uso de produtos químicos. Com respostas significativas na produção das hortaliças, os materiais orgânicos, melhoram as propriedades químicas, físicas e biológicas do solo, gerando estabilidade de agregados, assim, reduzindo a densidade do solo, consequentemente contribuindo para o desenvolvimento das plantas e aumento da produção. O uso desses materiais em forma de adubação, não só beneficia a produtividade, mas também fornece plantas com características melhores que as cultivadas apenas com adubação química, proporcionando ainda ao produtor maior ganho e qualidade garantida, atendendo as novas tendências de mercado. Entre as hortaliças raiz e folhosas estão à cenoura e a alface, apresentam resposta positivas na adubação orgânica, variando de acordo com a cultivar e fonte de adubo a ser utilizado. Os adubos verdes são fontes que se constituem na decomposição de gramíneas, leguminosas e plantas espontâneas. Para a escolha de qual utilizar, é preciso ser cuidadoso com as condições edafoclimáticas, pois podem prejudicar o desenvolvimento da cultura principal. O feijão-de-porco é uma leguminosa anual ou bianual, ereta, herbácea, com crescimento inicial rápido, muito rústica, resistente a temperaturas elevadas, tolerante ao sombreamento parcial e se adapta a solos pobres em fósforo ainda favorece a rápida cobertura do solo devido ao seu crescimento acelerado. São atribuídas a essa cultura também efeito alelopático a plantas invasoras, sendo eficiente para o controle da tiririca (Cyperus rotundus) invasora de difícil controle.
        Download
        MINERALOGIA, FORMAS DE FÓSFORO E MATÉRIA ORGÂNICA DE SOLOS E SEDIMENTOS CARBONÁTICOS NO PANTANAL SUL-MATO-GROSSENSE
        Curso Mestrado em Agronomia
        Tipo Dissertação
        Data 27/02/2019
        Área AGRONOMIA
        Orientador(es)
        • JOLIMAR ANTONIO SCHIAVO
        Orientando(s)
        • NAELMO DE SOUZA OLIVEIRA
        Banca
        • ALEXANDRE ROMEIRO DE ARAÚJO
        • ELÓI PANACHUKI
        • JOLIMAR ANTONIO SCHIAVO
        Resumo
        Download
          TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MILHO AOS HERBICIDAS NICOSULFURON E TEMBOTRIONE
          Curso Mestrado em Agronomia
          Tipo Dissertação
          Data 27/02/2019
          Área FITOSSANIDADE
          Orientador(es)
          • ROGÉRIO SOARES DE FREITAS
          Orientando(s)
          • RAFAELLE RIBEIRO DUARTE
          Banca
          • Everton Luis Finoto
          • ROGÉRIO SOARES DE FREITAS
          • Wander Luis Barbosa Borges
          Resumo O milho (Zea mays) é um importante grão tanto para a economia quanto como fator social no Brasil e no mundo. O cereal representa uma das mais importantes culturas da agricultura brasileira, não só no aspecto quantitativo como também no aspecto qualitativo, sendo uma das bases da alimentação animal. As plantas daninhas podem ocasionar perdas na produtividade, variando de 10 a mais de 90% em função da espécie competidora, do grau de infestação, do período de convivência, bem como do estádio de desenvolvimento da cultura e das condições climáticas durante a convivência. Entre as medidas para o manejo de plantas daninhas, o controle químico é uma ferramenta importante, contudo, a tolerância das culturas aos herbicidas pode ser afetada pela dose utilizada, pelo estádio da cultura no momento da aplicação do herbicida, pelo cultivar utilizado devido a reações específicas de cada cultivar etc. Neste sentido, o objetivo do trabalho foi avaliar a tolerância tolerância de cultivares de milho aos herbicidas Tembotrione e Nicosulfuron. Foram realizados dois ensaios no delineamento em blocos ao acaso, com cinco repetições, em arranjo fatorial 4 x 3 x 2, sendo o primeiro fator constituído pelas doses dos Herbicidas [Nicossulfuron (0, 30, 60 e 120 ig.a.ha-1) ensaio 1 e doses do Tembotrione (0; 50,4; 100,8 e 201,6 ig.a. ha-1) ensaio 2], o segundo fator foi as cultivares de Milho IAC 8390, IAC 8333 e IAC Airam e o terceiro fator a aplicação dos herbicidas em dois estádios fenológicos da planta (V3 e V6). Após a aplicação dos herbicidas foi avaliado a fitotoxicidade, altura de plantas, a população final de plantas, massa de 100 grãos, índice de espigas e produtividade de grãos. Os ensaios de campo demonstraram que os cultivares IAC 8390, IAC 8333 e IAC Airan apresentaram tolerância diferencial aos herbicidas. Os cultivares apresentaram altos níveis de fitointoxicação pelo herbicida nicossulfuron, principalmente, quando aplicado em V3 e nas maiores doses utilizadas. O IAC 8390 é o cultivar com maior tolerância ao herbicida nicossulfuron, podendo este ser utilizado no estádio V6 sem prejudicar o desenvolvimento da planta. O nicossulfuron não deve ser utilizado para o manejo de plantas daninhas na cultura do milho, quando se opta pelos cultivares IAC Airan e IAC 8333. No ensaio 2 resultados mostraram que os cultivares de milho avaliados, apresentaram boa tolerância ao herbicida tembotrione em razão da baixa fitoxidade causada pelo mesmo. Constatou-se que os três cultivares de milho IAC em ambos períodos de aplicação do herbicida tembotrione mesmo em doses mais altas não foram afetadas pelo herbicida tembotrione.
          Download
          INTENSIDADE DE LUZ, RADIAÇÃO FOTOSSINTETICAMENTE ATIVA NA FORMAÇÃO DE MUDAS DE ARRUDA E PEPINO
          Curso Mestrado em Agronomia
          Tipo Dissertação
          Data 27/02/2019
          Área MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO
          Orientador(es)
          • FLAVIO FERREIRA DA SILVA BINOTTI
          Orientando(s)
          • WILLAMS FERREIRA SOUZA BARBOSA
          Banca
          • ALAN MARIO ZUFFO
          • EDILSON COSTA
          • FLAVIO FERREIRA DA SILVA BINOTTI
          Resumo A utilização de luz suplementar artificial, com emissão do comprimento de onda da
          radiação fotossintética ativa, é uma tecnologia que pode otimizar a produção de mudas. Objetivou-se com este trabalho estudar o efeito de diferentes níveis de luz, além de radiação fotossinteticamente ativa (PAR) suplementar, em casa de vegetação na produção de mudas de arruda e pepino. O experimento foi conduzido na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), no período de outubro de 2018 a janeiro de 2019. Foram utilizadas duas espécies para o experimento: arruda (Ruta graveolens L.) e pepino (Cucumis sativus). As mudas foram produzidas em diferentes intensidade de luz: pleno sol (0% de sombreamento); telado agrícola com tela de monofilamento preta de 18% de sombreamento; casa de vegetação climatizada e casa de vegetação climatizada com suplementação de radiação fotossintética ativa (7:00 ás 11:00 horas - 150 µmol m-2s-1). As Mudas foram avaliadas quanto a emergência, crescimento e índices biométricos. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, as médias comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Casa de vegetação climatizada com suplementação de radiação fotossintética ativa propiciou mudas de arruda com maior acúmulo de massa seca, além de maior crescimento do sistema radicular, tendo uma relação massa seca da parte aérea e do sistema radicular de 0,81, propiciando mudas de melhor qualidade, além de afetar positivamente a emergência de plântulas. As mudas de pepino que ficaram expostas ao ambiente externo, receberam grande quantidade intensidade de luz, excesso de luz resultou em mudas de menor qualidade de mudas. Acasa de vegetação climatizada favoreceu a produção de mudas de qualidade do pepino, já suplementação de radiação fotossintética ativa propiciou mudas de arruda de melhor qualidade.
          Download
          INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO COMO ALTERNATIVAS AO USO DE NITROGÊNIO MINERAL NA CULTURA DO FEIJOEIRO COMUM
          Curso Mestrado em Agronomia
          Tipo Artigo Científico
          Data 26/02/2019
          Área AGRONOMIA
          Orientador(es)
          • AGENOR MARTINHO CORRÊA
          Orientando(s)
          • EDER FERNANDES SANTANA
          Banca
          • AGENOR MARTINHO CORRÊA
          • FRANCISCO EDUARDO TORRES
          • LÉIA CARLA RODRIGUES DOS SANTOS LARSON
          Resumo O elevado custo do fertilizante nitrogenado industrializado, o impacto
          ambiental decorrente do processo de sua obtenção, o seu potencial efeito poluidor e a alta
          demanda desses fertilizantes pela cultura do feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris L.), estão
          a exigir a busca por alternativas que eliminem ou minimizem o seu uso, sem que o desempenho agronômico da cultura seja prejudicado. Entre estas alternativas a fixação biológica de nitrogênio (FBN) por meio da associação da cultura com estirpes de Rhizobium tropici e/ ou (coinoculação) a inoculação das sementes com bactérias
          promotoras do crescimento, como a espécie Azospirillum brasilense, são alternativas que
          devem ser avaliadas. Além do efeito benéfico isolado de cada um desses organismos, o que
          se espera é a ocorrência do efeito sinérgico com a inoculação mista superando os resultados obtidos no desempenho da cultura quando as inoculações são utilizadas isoladamente. Por outro lado, é também importante avaliar a ação desses organismos, isolados e em conjunto, na presença e na ausência do N mineral. Desta forma, este trabalho, realizado na área experimental da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, no ano agrícola 2016/2017, teve como objetivo avaliar a eficiência da inoculação e da coinoculação em feijoeiro comum com as bactérias Rhizobium tropici e Azospirillum brasilense como alternativas ao uso do N mineral utilizado na cultura.
          Download
            INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO COMO ALTERNATIVAS AO USO DE NITROGÊNIO MINERAL NA CULTURA DO FEIJOEIRO COMUM
            Curso Mestrado em Agronomia
            Tipo Dissertação
            Data 26/02/2019
            Área AGRONOMIA
            Orientador(es)
              Orientando(s)
                Banca
                • AGENOR MARTINHO CORRÊA
                • FRANCISCO EDUARDO TORRES
                • LÉIA CARLA RODRIGUES DOS SANTOS LARSON
                Resumo O elevado custo do fertilizante nitrogenado industrializado, o impacto ambiental decorrente do processo de sua obtenção, o seu potencial efeito poluidor e a alta demanda desses fertilizantes pela cultura do feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris L.), induz a busca por alternativas, que eliminem ou minimizem o seu uso, sem que o desempenho agronômico da cultura seja prejudicado. Entre estas alternativas a fixação biológica de nitrogênio (FBN) por meio da associação da cultura com estirpes de Rhizobium tropici e/ ou Azospirillum brasilense (coinoculação) com bactérias promotoras do crescimento, como a espécie Azospirillum brasilense, são alternativas que devem ser avaliadas. Além do efeito benéfico isolado de cada um desses organismos, o que se espera é a ocorrência do efeito sinérgico com a coinoculação superando os resultados obtidos no desempenho da cultura quando as inoculações são utilizadas isoladamente. Por outro lado, é também importante avaliar a ação desses organismos, isolados e em conjunto, na presença e na ausência do N mineral. Desta forma, este trabalho, realizado na área experimental da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, no ano agrícola 2016/2017, teve como objetivo avaliar a eficiência da inoculação e da coinoculação em feijoeiro comum com as bactérias Rhizobium tropici e Azospirillum brasilense como alternativas ao uso do N mineral utilizado na cultura.
                Download
                AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DE SEMENTES DE HÍBRIDOS DE Brachiaria decumbens e Brachiaria spp
                Curso Mestrado em Zootecnia
                Tipo Dissertação
                Data 25/02/2019
                Área AVALIAÇÃO, PRODUÇÃO E CONSERVAÇÃO DE FORRAGENS
                Orientador(es)
                • PEDRO NELSON CESAR DO AMARAL
                Orientando(s)
                • ANDERSON RAMIRES CANDIDO
                Banca
                • CACILDA BORGES DO VALLE
                • GRAZIELA CACERES CARPEJANI
                • PEDRO NELSON CESAR DO AMARAL
                • SANZIO CARVALHO LIMA BARRIOS
                Resumo
                Download
                NÍVEIS DE NITROGÊNIO ASSOCIADOS AO MODO DE APLICAÇÃO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO NO ALGODOEIRO
                Curso Mestrado em Agronomia
                Tipo Dissertação
                Data 25/02/2019
                Área AGRONOMIA
                Orientador(es)
                • MATHEUS GUSTAVO DA SILVA
                Orientando(s)
                • MAYARA DOS SANTOS SIMÕES
                Banca
                • AGENOR MARTINHO CORRÊA
                • MATHEUS GUSTAVO DA SILVA
                • MUNIR MAUAD
                Resumo
                Download
                  NÍVEIS DE SOMBREAMENTO, MATERIAL REFLETOR E PROFUNDIDADE DE SEMEADURA NA FORMAÇÃO DE MUDAS DE BARU
                  Curso Mestrado em Agronomia
                  Tipo Dissertação
                  Data 22/02/2019
                  Área FITOTECNIA
                  Orientador(es)
                  • EDILSON COSTA
                  Orientando(s)
                  • GEANY GIOVANA SILVA DA COSTA
                  Banca
                  • Doutora Charline Zaratin Alves
                  • EDILSON COSTA
                  • EDUARDO PRADI VENDRUSCOLO
                  Resumo A presente dissertação é composta por dois capítulos. No capitulo 1, revisão de literatura, são abordados os seguintes tópicos: exploração do cerrado brasileiro; Dipteryx alata vog.; ambientes de cultivo; material refletor em bancadas e radiação fotossintética ativa; profundidade de semeadura e produção de mudas. No capítulo 2 se refere ao experimento conduzido na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia (UUC), no período de outubro de 2017 a fevereiro de 2018. As mudas foram produzidas em diferentes níveis de sombreamento: pleno sol; telado agrícola com tela de monofilamento preta de 18%, 30% e 50% de sombreamento. Foram testadas bancadas de cultivo com e sem material refletor (Aluminet®), assim como duas profundidades de semeadura (2 e 4 cm). A semeadura foi realizada em sacos plásticos de polietileno (15,0 x 25,0 cm, 1,8 L) com substrato contendo solo de barranco (50%), esterco bovino (30%) e vermiculita fina (20%). Por não haver repetições dos níveis de sombreamento (ambientes de cultivo), cada um foi considerado um experimento. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 2 (duas bancadas x duas profundidades), com 5 repetições de 8 mudas cada. Aos 53, 86 e 120 dias após semeadura foram avaliados temperatura do substrato, altura das mudas, diâmetro do colo, massa seca da parte aérea, massa seca do sistema radicular, taxa de crescimento absoluto e índice de qualidade de Dickson. Os dados foram submetidos à análise de grupos de experimentos e comparadas pelo teste Tukey, 5% de probabilidade para ambientes e teste t de student para bancadas de cultivo e profundidade de semeadura. Não houve influência do uso do material aluminizado (Aluminet®) em bancada de cultivo na formação de mudas de baru. A profundidade de semeadura de 2 e 4 cm não interferiram na qualidade das mudas de baruzeiro. O sombreamento foi importante para formação de mudas de elevada qualidade. O ambiente de 50% de sombreamento propiciou plantas com maior massa seca da parte aérea e total.
                  Download
                  A Realidade Virtual: Uma Experiência Educativa para o Ensino de Geometria
                  Curso Mestrado em Educação Científica e Matemática
                  Tipo Dissertação
                  Data 22/02/2019
                  Área ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
                  Orientador(es)
                  • JOSÉ BARRETO DOS SANTOS
                  Orientando(s)
                  • Juliani Lucinda Caldeira Ferreira
                  Banca
                  • ELIANE CERDAS LABARCE
                  • JOSÉ BARRETO DOS SANTOS
                  • KÉSIA CAROLINE RAMIRES NEVES
                  Resumo
                  Download
                    Caracterização da Matéria Orgânica e Atributos Físicos do Solo em Fragmentos Florestais dos Biomas Mata Atlântica e Cerrado
                    Curso Mestrado em Agronomia
                    Tipo Dissertação
                    Data 18/02/2019
                    Área AGRONOMIA
                    Orientador(es)
                    • JEAN SÉRGIO ROSSET
                    Orientando(s)
                    • JEFFERSON MATHEUS BARROS OZÓRIO
                    Banca
                    • ELÓI PANACHUKI
                    • JEAN SÉRGIO ROSSET
                    • MARTIOS ECCO
                    Resumo
                    Download
                    Inoculante e Bioestimulante no Desempenho Agronômico de Feijão Comum
                    Curso Mestrado em Agronomia
                    Tipo Dissertação
                    Data 18/02/2019
                    Área AGRONOMIA
                    Orientador(es)
                    • FRANCISCO EDUARDO TORRES
                    Orientando(s)
                    • DENISE PREVEDEL CAPRISTO
                    Banca
                    • AGENOR MARTINHO CORRÊA
                    • FRANCISCO EDUARDO TORRES
                    • TATIANE DO NASCIMENTO LIMA
                    Resumo
                    Download
                      Metodologias Ativas: Uma Perspectiva de Mudança na Concepção de Ensino e Aprendizagem
                      Curso Mestrado em Letras em Rede Nacional
                      Tipo Dissertação
                      Data 18/02/2019
                      Área LETRAS
                      Orientador(es)
                      • SANDRA ESPINDOLA MACENA
                      Orientando(s)
                      • MICHELE FERNANDA PICOLO
                      Banca
                      • AZENAIDE ABREU SOARES VIEIRA
                      • GERALDO JOSÉ DA SILVA
                      • SANDRA ESPINDOLA MACENA
                      Resumo
                      Download
                        Volumes de Tubetes e Doses de Fertilizante no Crescimento Inicial de Três Espécies Nativas do Cerrado
                        Curso Mestrado em Agronomia
                        Tipo Dissertação
                        Data 14/02/2019
                        Área AGRONOMIA
                        Orientador(es)
                        • ALLAN MOTTA COUTO
                        Orientando(s)
                        • NATASSYA ZAMLUTI SOARES
                        Banca
                        • ALLAN MOTTA COUTO
                        • BRUNA GARDENAL FINA
                        • THIAGO WOICIECHOWSKI
                        Resumo
                        Download
                        ATRIBUTOS QUÍMICOS E ESTOQUE DE CARBONO TOTAL NOS COMPARTIMENTOS DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM SISTEMA SILVIPASTORIL
                        Curso Mestrado em Agronomia
                        Tipo Dissertação
                        Data 01/02/2019
                        Área MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO
                        Orientador(es)
                        • SIMONE CANDIDO ENSINAS MAEKAWA
                        Orientando(s)
                        • JEFFERSON ROGÉRIO MARQUES DA SILVA
                        Banca
                        • ALAN MARIO ZUFFO
                        • GISELLE FELICIANI BARBOSA
                        • SIMONE CANDIDO ENSINAS MAEKAWA
                        Resumo Umas das modalidades de sistemas que possibilita o uso da terra para aumentar a eficiência e produtividade de forma sustentável é o integração silvipastoril. Esse sistema é um sistema
                        conservacionista que proporciona proteção para o solo, podendo ser utilizado para recuperação de áreas degradadas e pode proporcionar melhorias nos atributos químicos do
                        solo e estoques de carbono em relação aos sistemas convencionais. Diante disso, o trabalho
                        teve como objetivo geral avaliar os atributos químicos do solo, estoques de carbono orgânico total e os compartimentos da matéria orgânica do solo em sistema silvipastoril (SP) com diferentes pontos de amostragem de solo e compará-lo com sistema de pastagem
                        convencional (PC) e área de vegetação nativa de cerrado (VN) afim de avaliar se a distância
                        das coletas de solo no SP é afetada. O presente trabalho foi realizado no ano 2017 em uma
                        propriedade localizada no município de Bandeirantes, Mato Grosso do Sul. Os tratamentos
                        foram representados por quatro pontos de coletas das amostras de solo no SP: 2,5, 5,0, 7,5 e
                        10 m de distância da linha externa de plantio do eucalipto, pela PC e VN, todos localizado na
                        mesma propriedade, o sistema silvipastoril e a pastagem convencional foram implantados em 2015 com a forragem de Urochloa brizantha cv. BRS Marandu, mesmos período de
                        formação, manejo de pastagens e taxa de lotação, porém, com ausência do componente
                        arbóreo. O SP, PC e VN foram divididos em quatro subáreas de 30 ha que corresponderam às
                        repetições. Para cada subárea foram coletadas amostras de solo nas camadas de 0-10, 10-20 e 20-30 cm, sendo 48 amostra no SP, 12 na PC e 12 na VN, totalizando 72 amostras, para determinação dos atributos químicos (pH (CaCl 2 ), Al 3+ , H+Al, K + e P) do solo, carbono orgânico total (COT), carbono orgânica associado aos minerais (COam), carbono orgânico partícula do (COp), carbono lábil (CL) e carbono nas frações das substâncias húmicas do solo. Os resultados foram submetidos à análise de variância e quando significativo, as médias dos tratamentos foram agrupadas pelo teste de Scott-Knott (p≤0,05). Para a acidez ativa (pH) os maiores valores foram encontrados na PC e no SP nas distâncias de 2,5 e 10,0 metros (SP-2,5 e SP-10,0 m). Para o atributo acidez potencial (H+Al), nas três camadas, a VN obteve maiores valores. Já os teores de alumínio (Al 3+ ), os maiores valores na camada 0-10 cm foram constatados no SP de 5,0 e 7,5 m (SP-5,0) (0,48 cmol c dm -3 ) e SP-7,5 (0,50 cmol c dm -3 ), na camada de 10-20 cm, VN (0,55 cmol c dm -3 ) e o SP-7,5 (0,58 cmol c dm -3 ) e para a camada de 20-30 cm, VN (0,55 cmol c dm -3 ), PC (0,45 cmol c dm -3 ), no SP-5,0 (0,48 cmol c dm -3 ) e SP-7,5 (0,63 cmol c dm -3 ). Os maiores valores de fósforo nas camadas 0-10 e 10-20 foram encontrados no SP-2,5 (6,05 mg dm -3 ), e na camada 20-30 cm o maior valor também foi verificado no SP-2,5 (6,13 mg dm -3 ) e SP-7,5 (5,75 mg dm -3 ). Para COT, COam e COp os melhores valores foram encontrados na VN na camada de 0-10 cm, já na camada 10-20 cm a VN obteve os maiores valores apenas para COT e COam e os sistemas silvipastoris em todas as distâncias avaliadas obteve os melhores valores para COp. Para somatória das substâncias húmicas (SHs) e carbono na fração ácido fúlvico (C-AF) a VN obteve os melhores valores para todas camadas estudadas. Para os atributos químicos do solo o gradiente de distância das árvores influenciou, de modo que, a menor acidificação do solo foi verificada no sistema silvipastoril a 2,5 e 10 m de distância das árvores. Para o fósforo, o sistema silvipastoril a 2,5 m de distância das árvores apresentou maior teor deste nutriente na camada de 20-30 cm e para o K até a profundidade de 20 cm. O solo sob a PC apresentou os índices mais baixos de estoques de carbono lábil e índice de manejo de carbono (IMC). No SP, foi analisado um acréscimo no estoque de carbono provando que o sistema mesmo em período inicial de implantação tem a capacidade de aumentar ou manter os estoques de carbono orgânico.
                        Download
                        CORRELAÇÕES GENÉTICAS E ANÁLISE DE TRILHA EM ACESSOS DE MAMONA
                        Curso Mestrado em Agronomia
                        Tipo Dissertação
                        Data 15/12/2018
                        Área MANEJO E TRATOS CULTURAIS
                        Orientador(es)
                        • TIAGO ZOZ
                        Orientando(s)
                        • AGNER DE FREITAS ANDRADE
                        Banca
                        • ALAN MARIO ZUFFO
                        • EDUARDO PRADI VENDRUSCOLO
                        • FÁBIO STEINER
                        • TIAGO ZOZ
                        Resumo O presente trabalho objetivou avaliar os componentes da produtividade de grãos e os caracteres de planta em acessos de mamona e identificar as características que possam ser utilizadas na seleção indireta de genótipos com maior produtividade de grãos. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com três repetições. Os tratamentos foram compostos por 82 acessos de mamona obtidos por meio de coleta nos estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Goiás, Minas Gerais e Paraná e três cultivares comerciais (IAC 2028, IAC Guarani e BRS Energia). Foram avaliadas as seguintes variáveis: número de dias para o florescimento, altura de planta, diâmetro do caule, número de nós por planta, número de racemos por planta, número de grãos por racemo, massa de 100 grãos e produtividade de grãos. Com os dados obtidos foram estimadas as correlações genéticas e os coeficientes de correlação genotípica foram desdobrados em efeitos diretos e indiretos das variáveis independentes (componentes de produtividade e caracteres de planta) sobre a variável dependente (produtividade de grãos). Os genótipos 65 e 92 apresentaram produtividade semelhantes as cultivares comerciais. Verificou-se a existência de variabilidade genética entre os acessos de mamona para todas as características estudadas. O número de nós por planta, o número de grãos por racemo e a massa de 100 grãos apresentaram efeitos diretos positivos sobre a produtividade de grãos.
                        Download
                          Página 3 de 8 (20 de 147 registros).